Imposto de Renda 2017 – Este ano o Leão esta na espreita!

leoes_006

 

O Blog, a partir deste ano, irá acompanhar todo  cronograma da declaração de imposto de renda para pessoas físicas. Aqui você poderá tirar algumas dúvidas e  fazer consultas .  Nosso objetivo é prover ferramentas e dicas para que você possa adequar-se exatamente ao que é requerido pela Receita Federal.

Neste ano a receita trouxe algumas pequenas novidades no intuito de auxiliar o contribuinte na confecção da declaração.

Segue aqui o cronograma inicial para 2017:

O Programa do IRPF contempla, além da Declaração de Ajuste Anual da Pessoa Física, vários programas e aplicativos que visam facilitar o cumprimento das obrigações tributárias por parte dos contribuintes. Para 2017, os programas e aplicativos são os seguintes:

· Programa Gerador da Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física para o exercício de 2017, ano-calendário 2016
· Programa de Apuração dos Ganhos de Capital – GCAP2017
· Programa Carnê Leão 2017
· Rascunho da Declaração (aplicativo que possibilita efetuar um rascunho da declaração a ser entregue no ano seguinte)

Informa-se também que na segunda quinzena de janeiro será publicada Portaria Ministerial com a Tabela de Reajuste do Salário de Contribuição para fins de aplicação das alíquotas da Contribuição Previdenciária no ano de 2017.

A tabela do imposto foi corrigida em 5% e será divulgada oficialmente pelo site da receita na segunda quinzena de janeiro. Atualizaremos aqui no blog

Outra dúvida comum é quem deve fazer a declaração do imposto de Renda:

  •  Quem recebeu um rendimento tributável anual maior do que 28 mil reais, ou seja, pessoas que recebiam uma média de salário maior do que dois mil reais. Esse acaba sendo um jeito de diminuição da desigualdade, evitando com que famílias extremamente pobres tivessem que pagar ao Governo. Vale lembrar que os rendimentos referentes a benefícios previdenciários são passíveis de tributação; Consulte o INSS para conferir os seus valores tributáveis pelo IRPF.

  • Quem teve rendimentos não tributáveis acima de 40 mil reais. Esses rendimentos não tributáveis são aqueles, nos quais, o seu lucro é liquido, ou seja, você não precisa pagar nenhum imposto ao Governo com esse dinheiro ganho.
    Um exemplo de rendimento não tributável é o abono de férias e o vale transporte e vale alimentação. Outro exemplo clássico de rendimento na tributável são as bolsas de estudo, esses valores não passam por nenhuma tributação prévia.

Assim, se por acaso, o seu ganho nesses casos citados for maior do que 40 mil, você é obrigado a declarar seu imposto de renda e pagar a taxa estabelecida pelo Governo.

  • Para quem trabalha no campo, é obrigatório fazer sua declaração, caso o seu rendimento tenha sido acima de R$ 128.308,50 anuais, ou seja, um pouco menos de 12 mil mensais.
  • Para quem investiu na Bolsa de Valores, por menor que seja o valor investido, deve também fazer sua contribuição com o Governo, já que todo investimento na Bolsa, até mesmo de 100 reais, é tributado.
  • Produtor rural que não tenha pago o imposto de renda do ano anterior, para compensar perdas na terra, são obrigados a declarar o imposto de renda no ano seguinte, assim, um produtor rural não pode ficar dois anos sem pagar, exceto se ele ganhar menos de 128 mil reais por ano, pois, nesse caso, ele estaria isento do pagamento.
  • Quem tiver posse de terra ou imóvel no valor superior a 300 mil reais, por isso, mesmo quem ganha pouco, mas, possui uma ótima residência, acaba sendo obrigado a pagar ao Governo.

Lembre-se, depois de feita a declaração, é muito importante indicar o banco para recebimento.

Para aqueles que pretendem antecipar a restituição, comparem as taxas cobradas pelos bancos. Este processo nem sempre é vantajoso.

 

 

 

Sustentabilidade Financeira: Uma Questão Comportamental

São muitas coisas para fazer em apenas 24 horas do dia…..

Estamos diariamente lutando contra o tempo em todos os aspectos, seja, saindo cada dia mais cedo de casa para o trabalho ou dormindo mais tarde para tentar relaxar. A verdade é que estamos impelidos a fazer tudo cada vez mais rápido sempre. Muitas vezes, nem sabemos ao certo o por que disso tudo, o fato é que estamos lutando contra o tempo o tempo todo.

 

Trabalhar, estudar, cuidar da família, brincar com os filhos, sair com os amigos, ler um livro, assistir um filme, conversar coma esposa ou namorada, trocar uma palavra com seus pais, fazer as compras do supermercado, etc..Somos requisitados a todo instante a doar um pouco do nós mesmos.

 

Em meio a tantas atividades, o mais comum é a falta de disciplina que acaba criando, uma agenda bagunçada. No decorrer dos dias, falta-nos tempo para planejar o nosso projeto de qualidade vida e pensar a médio e longo prazo. O reflexo disso nos leva a desestruturar o nosso orçamento mensal,   a consumir por impulso e sem objetivo construtivo ou a contrair dívidas excessivas e mal planejadas.

 

Estamos  na maior parte do tempo trabalhando e pensando em maneiras de ganhar dinheiro mas não em como emprega-lo de forma eficiente e a nosso favor. O dinheiro não serve apenas como reserva de valor, para ficar guardado. Ele serve para ser gasto em todos os momentos de sua vida para lhe proporcionar educação, satisfação e bem estar.

 

Envolver a família, reconectar-se com seus filhos é um movimento importante no desenvolvimento do planejamento financeiro. Criar espaços onde todos possam contribuir com o desempenho e utilização dos recursos, que são na verdade, da família.

 

Padrão de Vida Sustentável é o que nós acreditamos. Pare, Pense e Reflita nas 4 ações que propomos a seguir:

  • Elabore um diagnóstico e Estime: Imagine o que voce quer para sua vida e de seus familiares no futuro, sem trazer velhos comportamentos. Faça um relatório realista de seus gastos correntes
  • Registre e Teste: Faça uma análise dos seus gastos. Discuta com a família e diferenciem o necessário do supérfluo. Testar mudanças no orçamento ajudará a entender a origem dos gastos.
  • Almeje e Priorize: Defina onde voce destinará seus recursos. Agora é a hora de priorizar a sua vida e seus sonhos com o orçamento adequado.
  • Ajuste: Não somos 100% assertivos, se necessário, faça pequenos ajustes para que a sua meta não seja desviada.

 

Reveja suas crenças, reorganize-se e vá em busca dos seus sonhos e metas. Seja um idealista com suas vontades, afinal, tudo isso tem que ser muito divertido.

A equipe do Cuidando do Seu dinheiro esta pronta para caminhar ao seu lado na busca do melhor para o seu projeto de qualidade de vida. Fale com a gente, será um grande prazer pode fazer parte desta caminhada.

 

 

powered by Deivison Pedrosa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voce conhece o G.U.T. ?

Uma das maiores dificuldades que temos em realizar a tarefa de organizar as nossas despesas, é classificar aquelas que são mais urgentes. Na verdade, quando vivemos em família, o nosso orçamento deve contemplar não só as despesas básicas, mas as vontades e necessidades de todos os membros da família. Isto não é uma tarefa fácil já que, na maioria das vezes sucumbimos aos apelos não tão racionais assim. Um jogo de videogame em lançamento, um par de sapatos novos (para ele ou ela), um novo modelo de celular…..e por ai vai.

Na verdade, nada disso está errado. O que precisamos fazer é apenas disciplinar nossos gastos para que tenhamos espaço para realizar aquilo que vá nos satisfazer. Afinal, aí esta a graça de tudo…

Mas, e o G.U.T.? Aos estudantes de física e astrofísica, não vamos falar sobre a Teoria da Grande Unificação. O G.U.T. é uma técnica que foi desenvolvida ao longo da evolução dos processos de Gestão de Qualidade, no ambiente empresarial. E o que é bom para uma empresa, é bom para o uso pessoal também. Lembrando que estamos falando sobre condutas e prioridades e, empresas são ou devem ser, conduzidas racionalmente por gestores que tomam decisões diariamente baseados em suas crenças  e instintos.

Falando diretamente, o GUT é uma ferramenta usada para definir prioridades. A análise responde racionalmente as questões: O que devemos fazer primeiro? Por onde devemos começar? Para responder estas perguntas, o GUT leva em consideração a GRAVIDADE, a URGENCIA e a TENDENCIA do problema.

Por GRAVIDADE devemos considerar a intensidade, a profundidade dos danos que o problema pode causar se não atuarmos sobre ele;
Por URGENCIA devemos considerar o tempo que levará para sentirmos o impacto do problema se não atuarmos sobre ele;
Por TENDENCIA devemos considerar o desenvolvimento que o problema terá se, mais uma vez, não atuarmos sobre ele.

Então como aplicar o GUT em nosso orçamento familiar?

Devemos aplicar o GUT sempre que precisarmos priorizar despesas, ou seja, o objetivo é ordenar a importancia das despesas pela sua Gravidade, pela sua Urgencia e pela sua Tendencia, de forma que racionalmente, para que possamos efetuar o gasto da forma mais adequada.

Usar o GUT nos obriga a considerar cada despesa pelo foco tríplice, pela sua gravidade, pela sua urgencia e pela sua tendencia, caso não efeturamos o seu pagamento. Ou seja, vamos analisar sempre pela ótica do pior cenário. Mas vamos a prática.

Nós devemos atribuir para cada item, um peso de de 1 a 5, ou seja, atribuir um peso para gravidade, outro para a urgencia e outro para a tendencia dentro dos critérios abaixo.
Gravidade
1 – dano mínimo;
2 – dano leve;
3 – dano regular;
4 – dano grave e
5 – dano gravíssimo.
Urgencia
1 – longuíssimo parazo (de 2 a 3 meses)
2 – longo prazo (1 mes)
3 – prazo médio (15 dias)
4 – curto prazo (1 semana)
5 – imediatamente
Tendencia
1 – desaparece
2 – reduz-se ligeiramente
3 – permanece
4 – aumenta
5 – piora muito

A técnica consiste em listar uma série de despesas a realizar e atribuir os graus de acordo com a gravidade, a urgencia e a tendencia. Depois de feita esta primeira etapa, nós devemos multiplicar os valores atribuídos para cada item. Quanto maior o valor encontrado, maior é a necessidade (ou prioridade) de efetuar o pagamento. Para ficar mais apurada, esta ferramente pode ser aplicada em família, onde os resultados podem ser melhores, já que os valores do GUT serão encontrados por consenso.

Segue abaixo um exemplo da tabela do GUT. Devemos priorizar sempre as despesas que apresentarem o maior GUT

Despesas

G

U

T

GUT

Aluguel         5         4         3        60
Conta e Luz         4         4         3        48
Viagem final de semana         2         1         1         2

 

Esta ferramenta pode ser aplicada quando a família se dispõe a fazer uma lista completa das despesas a realizar. Se não tivermos uma visão ampla do nosso orçamento, esta ferramenta perde muito a sua efetividade. O objetivo é usá-la para priorizar os gastos, respondendo a pergunta: Por onde devo começar?  As pessoas não podem fazer tudo o que querem. Portanto elas devem escolher o que podem fazer.

Senão aplicarmos o GUT ou qualquer outro método, corremos o risco de ser levados pelo turbilhão dos afazeres diários. Tudo depende das nossas ESCOLHAS.

%d blogueiros gostam disto: