Hábito e Crenças – Criando novas possibilidades

Habito e Crença

 

Adequar nossa vida e encaixar nossos desejos e sonhos com as nossas possibilidades financeiras reais é o nosso maior desafio. No dia a dia sofremos uma carga e exposição muito grande aos impulsos de consumo. Somos estimulados o tempo todo. Mas é necessário começar a diferenciar nossos caminhos, estabelecendo metas.

O primeiro passo a ser dado é estar disposto e aberto a mudança. Nem sempre é um processo fácil pois poderemos restringir nossos hábitos e ficaremos expostos a família, amigos, colegas de trabalho. Quando falamos em mudança, automaticamente pressupõem-se que haverá perdas e que os ganhos podem ser incertos. Mas devemos entender que Limitaremos nossos gastos por um tempo necessário para buscar equilíbrio e sendo assim, os ganhos serão inevitáveis.

Para que este desejo de ter melhor equilíbrio financeiro devemos antes de tudo, elevar nosso nível de confiança e integridade.

Confiança no caminho que estamos escolhendo e Integridade para honrar os compromissos e metas que estabelecemos.

O resultado, se mantermos estes dois pilares será o início para que tenhamos uma vida plena, feliz, proveitosa e equilibrada financeiramente.

Agora, precisamos distinguir a nossa maneira de olhar para as contas. Através do hábito ou da crença?

Através do hábito, fazemos nosso orçamento sem planejamento, olhando apenas para o mês seguinte, para as despesas do dia a dia. O movimento que se repete o tempo todo, todos os meses.

Crença:  quando realmente planejamos financeiramente a nossa vida de forma eficaz, incluindo situações de bem-estar, diversão. Não olhar apenas para as despesas mandatórias de curto prazo. É olhar para médio e longo prazo, incluindo todos nossos sonhos, prováveis e possíveis. Criar possibilidades e estar integro e comprometido com elas, sendo uma fonte de inspiração para você mesmo e para outros que compartilham de sua vida.

Não existem modelos prontos perfeitamente adequados para cada pessoa, família ou empresa. O importante é que sejam erguidos pilares envolvimento e integridade entre você e as pessoas ao seu redor.

Pense nisso!

Nós do cuidando do seu dinheiro, estamos abertos para compartilhar nossas experiências e contribuir para que você possa criar a sua realidade financeira de forma saudável, integra e confiável.

powered by Coach Neurociencia – Gustavo Carvalho

 

Voce conhece o G.U.T. ?

Uma das maiores dificuldades que temos em realizar a tarefa de organizar as nossas despesas, é classificar aquelas que são mais urgentes. Na verdade, quando vivemos em família, o nosso orçamento deve contemplar não só as despesas básicas, mas as vontades e necessidades de todos os membros da família. Isto não é uma tarefa fácil já que, na maioria das vezes sucumbimos aos apelos não tão racionais assim. Um jogo de videogame em lançamento, um par de sapatos novos (para ele ou ela), um novo modelo de celular…..e por ai vai.

Na verdade, nada disso está errado. O que precisamos fazer é apenas disciplinar nossos gastos para que tenhamos espaço para realizar aquilo que vá nos satisfazer. Afinal, aí esta a graça de tudo…

Mas, e o G.U.T.? Aos estudantes de física e astrofísica, não vamos falar sobre a Teoria da Grande Unificação. O G.U.T. é uma técnica que foi desenvolvida ao longo da evolução dos processos de Gestão de Qualidade, no ambiente empresarial. E o que é bom para uma empresa, é bom para o uso pessoal também. Lembrando que estamos falando sobre condutas e prioridades e, empresas são ou devem ser, conduzidas racionalmente por gestores que tomam decisões diariamente baseados em suas crenças  e instintos.

Falando diretamente, o GUT é uma ferramenta usada para definir prioridades. A análise responde racionalmente as questões: O que devemos fazer primeiro? Por onde devemos começar? Para responder estas perguntas, o GUT leva em consideração a GRAVIDADE, a URGENCIA e a TENDENCIA do problema.

Por GRAVIDADE devemos considerar a intensidade, a profundidade dos danos que o problema pode causar se não atuarmos sobre ele;
Por URGENCIA devemos considerar o tempo que levará para sentirmos o impacto do problema se não atuarmos sobre ele;
Por TENDENCIA devemos considerar o desenvolvimento que o problema terá se, mais uma vez, não atuarmos sobre ele.

Então como aplicar o GUT em nosso orçamento familiar?

Devemos aplicar o GUT sempre que precisarmos priorizar despesas, ou seja, o objetivo é ordenar a importancia das despesas pela sua Gravidade, pela sua Urgencia e pela sua Tendencia, de forma que racionalmente, para que possamos efetuar o gasto da forma mais adequada.

Usar o GUT nos obriga a considerar cada despesa pelo foco tríplice, pela sua gravidade, pela sua urgencia e pela sua tendencia, caso não efeturamos o seu pagamento. Ou seja, vamos analisar sempre pela ótica do pior cenário. Mas vamos a prática.

Nós devemos atribuir para cada item, um peso de de 1 a 5, ou seja, atribuir um peso para gravidade, outro para a urgencia e outro para a tendencia dentro dos critérios abaixo.
Gravidade
1 – dano mínimo;
2 – dano leve;
3 – dano regular;
4 – dano grave e
5 – dano gravíssimo.
Urgencia
1 – longuíssimo parazo (de 2 a 3 meses)
2 – longo prazo (1 mes)
3 – prazo médio (15 dias)
4 – curto prazo (1 semana)
5 – imediatamente
Tendencia
1 – desaparece
2 – reduz-se ligeiramente
3 – permanece
4 – aumenta
5 – piora muito

A técnica consiste em listar uma série de despesas a realizar e atribuir os graus de acordo com a gravidade, a urgencia e a tendencia. Depois de feita esta primeira etapa, nós devemos multiplicar os valores atribuídos para cada item. Quanto maior o valor encontrado, maior é a necessidade (ou prioridade) de efetuar o pagamento. Para ficar mais apurada, esta ferramente pode ser aplicada em família, onde os resultados podem ser melhores, já que os valores do GUT serão encontrados por consenso.

Segue abaixo um exemplo da tabela do GUT. Devemos priorizar sempre as despesas que apresentarem o maior GUT

Despesas

G

U

T

GUT

Aluguel         5         4         3        60
Conta e Luz         4         4         3        48
Viagem final de semana         2         1         1         2

 

Esta ferramenta pode ser aplicada quando a família se dispõe a fazer uma lista completa das despesas a realizar. Se não tivermos uma visão ampla do nosso orçamento, esta ferramenta perde muito a sua efetividade. O objetivo é usá-la para priorizar os gastos, respondendo a pergunta: Por onde devo começar?  As pessoas não podem fazer tudo o que querem. Portanto elas devem escolher o que podem fazer.

Senão aplicarmos o GUT ou qualquer outro método, corremos o risco de ser levados pelo turbilhão dos afazeres diários. Tudo depende das nossas ESCOLHAS.

%d blogueiros gostam disto: