Hábito e Crenças – Criando novas possibilidades

Hábito e Crenças – Criando novas possibilidades

Hábito e Crenças – Criando novas possibilidades

Adequar nossa vida e encaixar nossos desejos e sonhos com as nossas possibilidades financeiras reais é o nosso maior desafio. No dia a dia sofremos uma carga e exposição muito grande aos impulsos de consumo. Somos estimulados o tempo todo. Mas é necessário começar a diferenciar nossos caminhos, estabelecendo metas.

O primeiro passo a ser dado é estar disposto e aberto a mudança. Nem sempre é um processo fácil pois poderemos restringir nossos hábitos e ficaremos expostos a família, amigos, colegas de trabalho. Quando falamos em mudança, automaticamente pressupõem-se que haverá perdas e que os ganhos podem ser incertos. Mas devemos entender que Limitaremos nossos gastos por um tempo necessário para buscar equilíbrio e sendo assim, os ganhos serão inevitáveis.

Para que este desejo de ter melhor equilíbrio financeiro devemos antes de tudo, elevar nosso nível de confiança e integridade.

Confiança no caminho que estamos escolhendo e Integridade para honrar os compromissos e metas que estabelecemos.

O resultado, se mantermos estes dois pilares será o início para que tenhamos uma vida plena, feliz, proveitosa e equilibrada financeiramente.

Agora, precisamos distinguir a nossa maneira de olhar para as contas. Através do hábito ou da crença?

Através do hábito, fazemos nosso orçamento sem planejamento, olhando apenas para o mês seguinte, para as despesas do dia a dia. O movimento que se repete o tempo todo, todos os meses.

Crença:  quando realmente planejamos financeiramente a nossa vida de forma eficaz, incluindo situações de bem-estar, diversão. Não olhar apenas para as despesas mandatórias de curto prazo. É olhar para médio e longo prazo, incluindo todos nossos sonhos, prováveis e possíveis. Criar possibilidades e estar integro e comprometido com elas, sendo uma fonte de inspiração para você mesmo e para outros que compartilham de sua vida.

Não existem modelos prontos perfeitamente adequados para cada pessoa, família ou empresa. O importante é que sejam erguidos pilares envolvimento e integridade entre você e as pessoas ao seu redor.

Pense nisso!

Nós do cuidando do seu dinheiro, estamos abertos para compartilhar nossas experiências e contribuir para que você possa criar a sua realidade financeira de forma saudável, integra e confiável.

powered by Coach Neurociência – Gustavo Carvalho

A Diferença entre Poupar e Investir

A Diferença entre Poupar e Investir

A Diferença entre Poupar e Investir

Geralmente vejo as pessoas comparando o ato de poupar e investir como se fosse a mesma coisa. Na verdade, poupar é o processo de guardar ou reter parte de sua renda. Investir, a priori, é adotar um método racional para remunerar o capital ou reserva. Na verdade, tenho conceitos mais amplos para os dois casos.
 
A definição de poupar vai além de guardar parte da nossa renda e podemos fazer de diversas maneiras: obtendo descontos nas compras à vista, pesquisando o valor das coisas, fazendo a conta certa (as vezes o que está ao lado de casa sairá mais em barato do que a promoção do outro lado da cidade), revendendo bens e utensílios substituídos, etc.. Ou seja, poupar nada mais é do que disciplinar seus hábitos de consumo, agindo de maneira racional e menos impulsiva.
 
O ato de Poupar deve ser tornar um hábito, e como todo hábito temos que aprender a pratica-lo em nossa vida.
 
Outro ponto importante  é dar uma finalidade para sua poupança, porque guardar dinheiro por guardar, não faz sentido e não é produtivo. Guardar dinheiro é para satisfazer algum sonho. Aqui vai uma dica: Use a imaginação, escreva todos os seus sonhos e priorize. Escolha qual o mais importante e depois comece a poupar , incorpore esse hábito para depois aprender a investir. O importante é a MOTIVAÇÃO.

 
 

Quando estiver preparado para investir,  opte pelo simples escolhendo um produto financeiro de fácil entendimento e de perfil de risco conservador. Aprenda a acumular reservas e ter disciplina nas suas compras.

 
Do ponto de vista de finanças, Investir é o processo de remunerar o dinheiro no tempo ou para quem assistiu Wall Street, o dinheiro nunca pode dormir. Mas investimento não é apenas isso. Investir significa dar uma finalidade para nossas reservas ou comprometer parte da nossa renda mensal por alguns meses, para satisfazer uma necessidade imediata. Ou seja, investir tem dois significados: contrair uma dívida de curto prazo com o objetivo de adquirir um bem ou serviço que possa nos satisfazer ou melhorar a nossa qualidade de vida. O outro é remunerar nossas reservas. Lembre-se que endividar-se não  é o processo mais adequado mas, sendo necessário, devemos nos assegurar que o retorno obtido com este investimento seja maior do que o custo mensal que teremos.
 
Portanto,  poupar é diferente de investir e antes de aplicar é preciso guardar. Se quiser saber um pouco mais sobre qual o tipo de investimento adequado ao seu perfil, consulte nossa página Descobrindo o melhor investimento.