Possibilidades e Conversas sobre Dinheiro

Há algum tempo venho dedicando parte do meu tempo em processos de autoconhecimento no intuito de buscar respostas aos padrões do meu comportamento. Não são processos simples nem tampouco suaves, mas de alguma forma me impelem a continuar caminhando.

Quando decidi fazer este blog durante um processo terapêutico , acreditava que os temas a serem abordados seriam simples demais e de fácil conhecimento. Foi um grande erro de julgamento de minha parte pois, pensando desta forma acabei rotulando não só as pessoas mas também meu próprio conhecimento.

Naquela ocasião, não me dei conta das possibilidades de poder contribuir para o Todo e, de certa forma, receber em troca por isso.

O resto da história está aqui, mais de 12 mil seguidores, mais de 150 mil views diretamente no blog, mais de 1.000.000 de acessos no facebook, mais de 1.200 pessoas atendidas e muita satisfação em ter continuado com este trabalho.

Mas o ponto importante que me leva diretamente a esta post é,  estar consciente das possibilidades que estão a nossa frente. Quando temos um desafio, somos levados a olhar rapidamente para encontrar um ponto de equilíbrio para aquela situação. Nunca pensamos em todas as possibilidades abertas a frente, só queremos resolver rapidamente.

Assim como tudo na vida, quando falamos em gerir o próprio orçamento familiar, nos deparamos com questões bem variadas, do tipo: São sempre as mesmas contas, o que tenho que fazer é gastar menos, para que controlar se o dinheiro é tão pouco, não preciso anotar porque pego tudo no extrato do banco, controlar minha mulher e meus filhos vai gerar uma dor de cabeça!, etc…..

Enfim, são várias as questões que nos impedem de sair do comodismo analfabético das finanças pessoais.

Então convido voce para que olhe novamente para a conversa sobre dinheiro que vem mantendo em sua vida.

Para iniciar, reflita nestas tres perguntas sobre dinheiro:

1) O que você tem feito com relação ao dinheiro?

Ações ou não ações com o dinheiro

2) O que você já tem?

Resultado das ações ou não ações na área dinheiro

3) Quem você tem sido?

Experiência de você mesmo na área dinheiro

Quer saber mais sobre esta conversa, fale coma gente. Estamos prontos para apoiá-lo!

 

Hábito e Crenças – Criando novas possibilidades

Habito e Crença

 

Adequar nossa vida e encaixar nossos desejos e sonhos com as nossas possibilidades financeiras reais é o nosso maior desafio. No dia a dia sofremos uma carga e exposição muito grande aos impulsos de consumo. Somos estimulados o tempo todo. Mas é necessário começar a diferenciar nossos caminhos, estabelecendo metas.

O primeiro passo a ser dado é estar disposto e aberto a mudança. Nem sempre é um processo fácil pois poderemos restringir nossos hábitos e ficaremos expostos a família, amigos, colegas de trabalho. Quando falamos em mudança, automaticamente pressupõem-se que haverá perdas e que os ganhos podem ser incertos. Mas devemos entender que Limitaremos nossos gastos por um tempo necessário para buscar equilíbrio e sendo assim, os ganhos serão inevitáveis.

Para que este desejo de ter melhor equilíbrio financeiro devemos antes de tudo, elevar nosso nível de confiança e integridade.

Confiança no caminho que estamos escolhendo e Integridade para honrar os compromissos e metas que estabelecemos.

O resultado, se mantermos estes dois pilares será o início para que tenhamos uma vida plena, feliz, proveitosa e equilibrada financeiramente.

Agora, precisamos distinguir a nossa maneira de olhar para as contas. Através do hábito ou da crença?

Através do hábito, fazemos nosso orçamento sem planejamento, olhando apenas para o mês seguinte, para as despesas do dia a dia. O movimento que se repete o tempo todo, todos os meses.

Crença:  quando realmente planejamos financeiramente a nossa vida de forma eficaz, incluindo situações de bem-estar, diversão. Não olhar apenas para as despesas mandatórias de curto prazo. É olhar para médio e longo prazo, incluindo todos nossos sonhos, prováveis e possíveis. Criar possibilidades e estar integro e comprometido com elas, sendo uma fonte de inspiração para você mesmo e para outros que compartilham de sua vida.

Não existem modelos prontos perfeitamente adequados para cada pessoa, família ou empresa. O importante é que sejam erguidos pilares envolvimento e integridade entre você e as pessoas ao seu redor.

Pense nisso!

Nós do cuidando do seu dinheiro, estamos abertos para compartilhar nossas experiências e contribuir para que você possa criar a sua realidade financeira de forma saudável, integra e confiável.

powered by Coach Neurociencia – Gustavo Carvalho

 

Imposto de Renda 2017 – Este ano o Leão esta na espreita!

leoes_006

 

O Blog, a partir deste ano, irá acompanhar todo  cronograma da declaração de imposto de renda para pessoas físicas. Aqui você poderá tirar algumas dúvidas e  fazer consultas .  Nosso objetivo é prover ferramentas e dicas para que você possa adequar-se exatamente ao que é requerido pela Receita Federal.

Neste ano a receita trouxe algumas pequenas novidades no intuito de auxiliar o contribuinte na confecção da declaração.

Segue aqui o cronograma inicial para 2017:

O Programa do IRPF contempla, além da Declaração de Ajuste Anual da Pessoa Física, vários programas e aplicativos que visam facilitar o cumprimento das obrigações tributárias por parte dos contribuintes. Para 2017, os programas e aplicativos são os seguintes:

· Programa Gerador da Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física para o exercício de 2017, ano-calendário 2016
· Programa de Apuração dos Ganhos de Capital – GCAP2017
· Programa Carnê Leão 2017
· Rascunho da Declaração (aplicativo que possibilita efetuar um rascunho da declaração a ser entregue no ano seguinte)

Informa-se também que na segunda quinzena de janeiro será publicada Portaria Ministerial com a Tabela de Reajuste do Salário de Contribuição para fins de aplicação das alíquotas da Contribuição Previdenciária no ano de 2017.

A tabela do imposto foi corrigida em 5% e será divulgada oficialmente pelo site da receita na segunda quinzena de janeiro. Atualizaremos aqui no blog

Outra dúvida comum é quem deve fazer a declaração do imposto de Renda:

  •  Quem recebeu um rendimento tributável anual maior do que 28 mil reais, ou seja, pessoas que recebiam uma média de salário maior do que dois mil reais. Esse acaba sendo um jeito de diminuição da desigualdade, evitando com que famílias extremamente pobres tivessem que pagar ao Governo. Vale lembrar que os rendimentos referentes a benefícios previdenciários são passíveis de tributação; Consulte o INSS para conferir os seus valores tributáveis pelo IRPF.

  • Quem teve rendimentos não tributáveis acima de 40 mil reais. Esses rendimentos não tributáveis são aqueles, nos quais, o seu lucro é liquido, ou seja, você não precisa pagar nenhum imposto ao Governo com esse dinheiro ganho.
    Um exemplo de rendimento não tributável é o abono de férias e o vale transporte e vale alimentação. Outro exemplo clássico de rendimento na tributável são as bolsas de estudo, esses valores não passam por nenhuma tributação prévia.

Assim, se por acaso, o seu ganho nesses casos citados for maior do que 40 mil, você é obrigado a declarar seu imposto de renda e pagar a taxa estabelecida pelo Governo.

  • Para quem trabalha no campo, é obrigatório fazer sua declaração, caso o seu rendimento tenha sido acima de R$ 128.308,50 anuais, ou seja, um pouco menos de 12 mil mensais.
  • Para quem investiu na Bolsa de Valores, por menor que seja o valor investido, deve também fazer sua contribuição com o Governo, já que todo investimento na Bolsa, até mesmo de 100 reais, é tributado.
  • Produtor rural que não tenha pago o imposto de renda do ano anterior, para compensar perdas na terra, são obrigados a declarar o imposto de renda no ano seguinte, assim, um produtor rural não pode ficar dois anos sem pagar, exceto se ele ganhar menos de 128 mil reais por ano, pois, nesse caso, ele estaria isento do pagamento.
  • Quem tiver posse de terra ou imóvel no valor superior a 300 mil reais, por isso, mesmo quem ganha pouco, mas, possui uma ótima residência, acaba sendo obrigado a pagar ao Governo.

Lembre-se, depois de feita a declaração, é muito importante indicar o banco para recebimento.

Para aqueles que pretendem antecipar a restituição, comparem as taxas cobradas pelos bancos. Este processo nem sempre é vantajoso.

 

 

 

Os números de 2015

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 46.000 vezes em 2015. Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 17 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Sustentabilidade Financeira: Uma Questão Comportamental

São muitas coisas para fazer em apenas 24 horas do dia…..

Estamos diariamente lutando contra o tempo em todos os aspectos, seja, saindo cada dia mais cedo de casa para o trabalho ou dormindo mais tarde para tentar relaxar. A verdade é que estamos impelidos a fazer tudo cada vez mais rápido sempre. Muitas vezes, nem sabemos ao certo o por que disso tudo, o fato é que estamos lutando contra o tempo o tempo todo.

 

Trabalhar, estudar, cuidar da família, brincar com os filhos, sair com os amigos, ler um livro, assistir um filme, conversar coma esposa ou namorada, trocar uma palavra com seus pais, fazer as compras do supermercado, etc..Somos requisitados a todo instante a doar um pouco do nós mesmos.

 

Em meio a tantas atividades, o mais comum é a falta de disciplina que acaba criando, uma agenda bagunçada. No decorrer dos dias, falta-nos tempo para planejar o nosso projeto de qualidade vida e pensar a médio e longo prazo. O reflexo disso nos leva a desestruturar o nosso orçamento mensal,   a consumir por impulso e sem objetivo construtivo ou a contrair dívidas excessivas e mal planejadas.

 

Estamos  na maior parte do tempo trabalhando e pensando em maneiras de ganhar dinheiro mas não em como emprega-lo de forma eficiente e a nosso favor. O dinheiro não serve apenas como reserva de valor, para ficar guardado. Ele serve para ser gasto em todos os momentos de sua vida para lhe proporcionar educação, satisfação e bem estar.

 

Envolver a família, reconectar-se com seus filhos é um movimento importante no desenvolvimento do planejamento financeiro. Criar espaços onde todos possam contribuir com o desempenho e utilização dos recursos, que são na verdade, da família.

 

Padrão de Vida Sustentável é o que nós acreditamos. Pare, Pense e Reflita nas 4 ações que propomos a seguir:

  • Elabore um diagnóstico e Estime: Imagine o que voce quer para sua vida e de seus familiares no futuro, sem trazer velhos comportamentos. Faça um relatório realista de seus gastos correntes
  • Registre e Teste: Faça uma análise dos seus gastos. Discuta com a família e diferenciem o necessário do supérfluo. Testar mudanças no orçamento ajudará a entender a origem dos gastos.
  • Almeje e Priorize: Defina onde voce destinará seus recursos. Agora é a hora de priorizar a sua vida e seus sonhos com o orçamento adequado.
  • Ajuste: Não somos 100% assertivos, se necessário, faça pequenos ajustes para que a sua meta não seja desviada.

 

Reveja suas crenças, reorganize-se e vá em busca dos seus sonhos e metas. Seja um idealista com suas vontades, afinal, tudo isso tem que ser muito divertido.

A equipe do Cuidando do Seu dinheiro esta pronta para caminhar ao seu lado na busca do melhor para o seu projeto de qualidade de vida. Fale com a gente, será um grande prazer pode fazer parte desta caminhada.

 

 

powered by Deivison Pedrosa

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conta Salário: O que se deve saber para usar corretamente

A cada novo dia recebo mais e mais perguntas sobre a utilização da conta salário. Na maioria das vezes, percebo que a desinformação está presente entre os próprios correntistas mas também,  entre os funcionários das agências bancárias.  Então, vamos discutir a seguir, as principais regras que regem a abertura e utilização da conta-salário.

Por definição, a conta salário,  é uma conta aberta por iniciativa e solicitação do empregador para efetuar o pagamento de salários aos seus empregados. Ela não deve ser uma conta para movimentação, para receber depósitos, somente para receber o crédito do salário e também PLR, soldos, pensões, vencimentos e similares.

Os bancos são obrigados a abrir conta salário no caso de serem contratados pelo empregador para a prestação do serviço de pagamento de salários. O contrato entre o empregador e o banco deve conter as condições e os procedimentos para a efetivação dos pagamentos aos beneficiários, inclusive as eventuais condições e restrições quanto à abertura da conta salário e aos canais de atendimento.

Mas vamos lá! Seguem os procedimentos e  regras para o empregador, trabalhador e para os bancos

  • É vedada a cobrança de tarifas pela utilização da conta salário para a transferência automática dos recursos para outro banco (portabilidade do salário) e para:

  • Fornecimento de cartão magnético, a não ser nos casos de pedidos de reposição decorrentes de perda, roubo, danificação e outros motivos não imputáveis à instituição financeira;

  •  Realização de até cinco saques, por evento de crédito;

  • Acesso a pelo menos duas consultas mensais ao saldo nos terminais de autoatendimento ou diretamente no guichê de caixa;

  • Fornecimento, por meio dos terminais de autoatendimento ou diretamente no guichê de caixa, de pelo menos dois extratos contendo toda a movimentação da conta nos últimos trinta dias;

  • Manutenção da conta, inclusive no caso de não haver movimentação;

  • A conta salário não pode ser movimentada por cheques. Ou seja, o banco não é obrigado a fornecer talão de cheques para o correntista;

  • Direito a fazer PORTABILIDADE do salário sendo que, a transferência automática dos recursos pela instituição financeira deve ser realizada no mesmo dia do crédito feito pelo empregador, até às 12h00, por meio de TED.

O empregado beneficiário dos pagamentos pode optar por  utilizar a conta salário para usufruir de outros serviços bancários. Nesse caso é admitida a cobrança de tarifas por esses serviços ou pela realização de saques e consultas acima da quantidade gratuita prevista. A realização de transferências parciais por meio de DOC ou TED também pode acarretar a cobrança de tarifas. Porém, tudo depende do acordo firmado entre a empresa e o banco.

O processo todo é muito simples mas, é preciso prestar bastante atenção para que seus direitos não sejam esquecidos.

Abaixo voce pode comentar sobre o post, enviar suas dúvidas e compartilhar suas experiências.

Até o próximo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Qual o verdadeiro valor das coisas?

O verdadeiro valor das coisas é o esforço e o problema de as adquirir. Geralmente me pergunto qual o valor justo do que tenho e do quero comprar. Isto porque, comparando os preços de tudo aqui no Brasil com outros países, aqui parece muito mais caro. De fato, existe uma diferença que são os impostos e o custo Brasil, que envolve desde a compra de matéria-prima até a manufatura do produto e sua distribuição aos pontos de venda.

Mas dado que isso não mudará tão cedo, como mensurar o valor justo para as coisas? Como saber realmente o que posso sonhar e o que posso comprar? Até onde sou capaz de chegar? Como posso fazer para aumentar o poder de compra do meu dinheiro?

Estas são as questões que nos envolve no dia a dia. Tudo muito certinho e burocrático. Mas, tem mais coisas para pensar e refletir que podem nos ajudar a entender os nossos questionamentos.

A primeira coisa que acontece quando a gente quer algo novo, é aquela imagem de nos mesmos usando, usufruindo daquele bem. Isto provoca uma sensação de euforia e ansiedade, como se já tivéssemos comprado. Pois bem, não há nada de errado com isso. Ja comentei em minhas palestras e em outros posts, que a imaginação é a chave de tudo. Tudo que posso imaginar, também poderei realizar. Pois é, mas esta euforia deve ser administrada de forma consciente, nos fazendo pensar em  tudo que envolve aquele sonho. Não estamos acostumados a orientar nossos gastos e fazer uma reserva, programar o pagamento de parcelas para comprar o que queremos. Somos assim, naturalmente impulsivos.

E o impulso é a chave de tudo. Somos acostumados desde de criança a buscar tudo o que queremos, tudo que sonhamos. Afinal, quando se é criança, podemos sonhar com tudo,  sem restrições. Isso é bom! O problema é que quando chegamos na idade adulta, os nossos medos criam armadilhas que limitam a nossa capacidade de realização. E de vez em quando, extrapolamos aquela sensação de criança de que conquistar tudo,  que nos invade e nos impulsiona de forma desordenada a buscar de imediato  o que queremos. Sem filtros e, muitas vezes, sem controle.

O que eu quero mostrar neste post, é propor uma maneira de mensurar o valor justo das coisas sonhos e mostrar um caminho, dentro de tantos outros, para utilizar o dinheiro de forma eficaz e viver bem.

Então vamos começar:

1) Cada pessoa / família tem necessidades diferentes. Por causa disso, as coisas tem valores relativos diferentes para cada um. Uma maneira de saber qual o valor justo é medir qual o esforço que tenho que fazer para comprar o que quero. Quantos dias tenho que trabalhar para comprar aquele computador, aquele relógio novo. Fácil, basta eu saber quanto eu ganho por dia e dividir o valor do bem.

Exemplo: Relógio R$ 300,00; Salário líquido R$ 2.200,00/mes – R$ 73,33/dia.  Assim tenho que trabalhar três dias no mês para poder comprar o relógio. Isso pode ser uma boa referencia para as coisas de valores menores.

Mas e se for um apartamento, um carro, uma casa, etc.. ? Posso fazer a mesma coisa, dado que são bens de maior valor, tenho que pensar no longo prazo. Preciso achar quanto ganho por ano, e dividir o valor do bem.

Exemplo: Carro R$ 25.000,00; Salário líquido R$ 28.600,00/ano. Neste caso, vou ter que trabalhar quase um ano para pagar.

Mas o que realmente eu posso sonhar e comprar?

2) Não há milagre. Mas eu posso sonhar com tudo o que quiser, desde que tenha disciplina financeira e foco, precisando apenas colocar na ponta do lápis o que ganh0 e o que gasto. CONTROLE! Basta ser organizado e controlar a sua vida financeira. Baixe esta planilha e comece a se organizar Orçamento Familiar

Não há barreiras intransponíveis ou algo que te impeça de ter qualquer coisa. O que existe são crenças sobre dinheiro que vem de muito longe na nossa história, que limitam nossos sonhos, nossas verdades e temos que romper estas limitações.  Acreditar é a palavra chave.

 

Slide22

 

3) Enfim, a organização pessoal e a consciência de saber  onde exatamente se quer chegar, criam condições que vão melhorar a qualidade dos seus gastos e de sua vida. Vai ajudá-lo a estabelecer prioridades, comprar o que realmente lhe proporcionará prazer e diversão.

Tudo é muito simples, basta apenas escolher o caminho que quer seguir! Reflita onde exatamente voce está agora! Viver bem é bem fácil!

powered by Flavio Siqueira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Voce já pensou no que faz a gente evoluir?

Alguns dizem que é o poder, outros dizem que são as teorias da evolução das espécies e outros, simplesmente o fato de existir. Mas na verdade, o que nos tira da inércia mesmo, é a nossa própria vontade de mudar, de buscar o novo, a vontade que nos coloca cara a cara com a nossa realidade.

Fernando Pessoa escreveu: “ Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos, do nosso potencial máximo.” Provavelmente os textos e informações que coloco neste blog, podem influenciar algumas pessoas a refletirem sobre o conceito material do dinheiro. Na verdade, o que eu acredito é na capacidade que todos temos de materializar nossos desejos, vontades e pensamentos, em nossa realidade. Mas não há receita pronta, apenas pequenas pistas que nos fazem refletir, porque somos únicos.

Talvez, pensando mais profundamente, acredito que precisamos ser mais autores do que telespectadores da nossa vida. Olhar e ir mais longe, por outro lado, por outros ângulos. Outras perspectivas. Pensar no que temos agora e no que poderemos ter e transformar. Resgatar o que nos motivou a chegar até aqui, o nosso passado, nossas origens, amores, paixões, dores, alegrias. Reconstruir nossa estrutura e nossa base…É preciso ser realista para descobrir a nossa realidade. E depois ter atitude para mudar. Aliás, atitude é uma pequena coisa que faz uma grande diferença.

Untitled

“Seus pensamentos, sentimentos e quadros mentais podem ser chamados eventos externos em gestação, pois de uma forma ou de outra, cada um deles se materializa na realidade física.”
(A natureza da realidade pessoal -Seth- por Jane Roberts)

E assim, nós escolhemos para estar aqui, para ter uma vida melhor, aptos a mudar a nossa realidade, a buscar o novo, aptos a evoluir intelectualmente, espiritualmente e financeiramente. Romper com as crenças estáticas sobre o dinheiro que pairam sobre nós desde de criança. Quanto você acha que merece ter? Dinheiro traz a felicidade? Quais os acontecimentos que responderão a nossa condição material?

Vivemos no tempo que pensar de forma coletiva e sistemica, é a saída para encontrar o equilíbrio das relações pessoais e materiais. Pensar no que é importante para você, pode e será importante para todos. Então merecemos ambicionar e querer ter sempre o melhor, para nós e para todos.

Todas estas opções, nos levam a experimentar diferenciar o Essencial do Supérfluo e a Estabelecer e Respeitar nossos limites e direitos. Somente assim, buscando ampliar nosso padrão de conscência sobre nossas diretrizes pessoais, modificando nossos hábitos, não sucumbindo aos milhares de impulsos que recebemos, seremos capazes de encontrar o equilíbrio em nossas ações e quebrar padrões pré-estabelecidos. Isto, sem dúvida, reverberá em nossa Vida financeira.


powered by Flavio Siqueira

Gestão Consciente do Dinheiro, voce faz?

O consumo inconsciente é o pior inimigo do equilíbrio financeiro. Portanto, quem reflete de forma constante sobre as suas reais necessidades de consumo tende a ter uma Vida familiar mais equilibrado.

Quando falo em Gasto Consciente, quero me referir a maneira com a qual lidamos com nosso Orçamento. Geralmente nós efetuamos a maior parte dos nossos gastos pessoais por impulso. Alguns meses atrás, fiz uma pesquisa com nossos seguidores no Facebook, onde perguntamos exatamente qual o tipo de consumidor as pessoas se enquadrariam. O resultado da pesquisa foi alarmante, pois 67% das pessoas se enquadraram como Consumidores Compulsivos.

Isto acontece muitas vezes porque não verificamos a real necessidade de aquisição de um produto ou serviço. Em nosso post “Aprendendo a Gastar: Qual seu perfil de Consumo” (http://wp.me/p2hxwj-15) procurei, baseado em estudos de comportamento, definir o que nos faz a consumir e como somos rotulados. Para estreitar mais ao longo deste ano de existência, mantive contato com diversas pessoas, através de palestras e atendimentos particulares, onde foi possível constatar que a maior parte das decisões de compras não obedecem nenhum critério. A maioria das pessoas Compram pelo simples Ato de Comprar. Vale a pena visitar o post onde falo sobre A Doença do Consumo, a Oniomania (http://wp.me/p2hxwj-5v) .

A nossa proposta neste post é difundir o padrão de Gestão Consciente do nosso dinheiro. Na verdade, é trazer algo que já fazemos em nossa Vida Profissional. Em nosso trabalho sempre somos orientados a economizar, cuidar e maximizar a utilização dos recursos que temos disponível para desempenhar nossas atividades. É assim que funciona no mundo corporativo, sem cometer desperdício. Então, porque não adotar o mesmo modelo?

Primeiro Passo: Reflita e se pergunte antes de sair comprando. Portanto, toda vez que for comprar, pergunte-se se o produto que você quer comprar vai agregar alguma coisa em sua qualidade de vida. Se tiver dúvida entre comprar ou não comprar, deixe para outro dia.

Segundo Passo: Uma vez tomada a decisão de comprar, pesquise em outros lugares e na internet . Compare preço e qualidade.

Terceiro Passo: Definido o lugar da compra, negocie preço, escolha o meio de pagamento mais adequado e, se possível, escolha pagar a vista e de preferência com desconto.

Este roteiro simples adotamos em nossa atividade profissional em todas as áreas, seja solicitando serviços internos, comprando materiais ou negociando com nosso chefe.

Mas, a nossa vida pessoal tem uma dinâmica diferente e não suportaríamos ser tão racionais e metódicos assim. Precisamos de liberdade, algo mais simples que nos ajude a fugir dos impulsos da mídia e do clima de consumismo criado. Na verdade somos bombardeados a consumir diariamente. Quem nunca comprou um aplicativo para o seu telefone celular sem ter necessidade ou porque é legal?

A Gestão Consciente começa com algo mais simples, porém eficiente. Quando for comprar alguma coisa, tenha em mente as seguintes perguntas e seja sincero em suas respostas:

Eu preciso realmente disso?
Para que?
Precisa ser agora?
Eu tenho dinheiro disponível?

O nosso principal desafio é ter atitudes conscientes e equilibradas em todos os aspectos de nossa vida, o que não é algo fácil. A nossa condição financeira, a maneira com a qual administramos nosso dinheiro, influencia diretamente em nossa qualidade de Vida. Nós sabemos como ganhar dinheiro e torna-se importante aprender a gastá-lo de maneira sustentável.

A felicidade esta diretamente ligada a um padrão de vida equilibrada. O dinheiro faz parte disso e nos ajuda a conquistar nossos sonhos, construir a realidade que queremos.

Você está On ou Off? Mais uma vez um vídeo que merece ser assitido, divulgado, compartilhado. Powered by Deivison Pedroza.

Pagador de Contas: Quer continuar sendo um?

Há alguns meses venho ilustrando alguns tipos de comportamento que influencia nossa maneira de agir na sociedade. Discutir sobre qual é o destino mais equilibrado para nossa renda e que nosso foco requer um pouco mais do que simples observações. Vivemos em tempos da sociedade de consumo, definido assim no Wikipédia: “ Sociedade de Consumo é um termo utilizado para designar o tipo de sociedade que se encontra numa avançada etapa de desenvolvimento industrial capitalista e que se caracteriza pelo consumo massivo de bens e serviços, disponíveis graça a elevada produção dos mesmos.” Esta definição está perfeitamente alinhada com o pensamento econômico e não há nada de errado.

Quando falamos em finanças pessoais, a primeira idéia que nos vem a mente é ligada diretamente as nossas despesas e a maneira como lidamos com elas. Isto porque somos orientados desde sempre no modelo voltado para consumir, para desfrutar imediatamente do consumo de bens, roupas, experiências e idéias. Enfim, toda a nossa atenção voltada para a capacidade do consumo de novos produtos, de novas falsas necessidades.

Independente de quanto ganhamos, R$ 500,00 ou R$ 50.000,00, a maioria das pessoas sucumbe aos apelos da mídia e gasta quase tudo que ganha. Poucos separam uma parte de sua renda para poupança. Existem várias histórias de pessoas que conseguiram aumentar a própria renda e prosperaram, mas que continuaram sem acumular reservas. No post “ Aprendendo a Gastar: Qual seu perfil de consumidor” (http://wp.me/p2hxwj-15) delineamos os tipos de comportamento de consumo mais comuns entre as pessoas. Somos assim, classificados pela nossa capacidade de adquirir bens, seja numa pesquisa oficial do IBGE ou em pesquisas de mercado. Todos os dias somos bombardeados por propagandas e influenciados a gastar e consumir mais.

Neste blog, quero estimular as pessoas a adotar um modelo de gestão consciente de suas finanças. Um modelo que não é orientado para as oportunidades únicas, para as infindáveis promoções, cheques pré-datados para 60 dias, para a utilização do crédito fácil. É o modelo que visa o gasto consciente orientado a poupar para poder comprar.

A Gestão Consciente de suas finanças é orientar o destino de sua renda a realização de seus sonhos, mudando a atitude e crenças sobre o dinheiro. Na teoria é muito fácil, mas como funciona na prática? No post “ Crenças sobre o dinheiro: Quais são as suas? (http://wp.me/p2hxwj-4d) discuto o princípio do caminho para quem realmente acredita que pode mudar. Rever Crenças e conceitos sobre dinheiro está diretamente ligado ao nosso perfil de consumidor.

Atitude é o segundo passo e este, só depende de você. Abaixo segue um vídeo, que eu acredito que pode estimular a pensar no que realmente vale a pena. Experimente mudar e sinta que é possível.

%d blogueiros gostam disto: