Descobrindo o Melhor Investimento

Descobrindo o Melhor Investimento

Descobrindo o melhor investimento

Qual a finalidade do seu investimento?

Antes de escolher onde investir, é importante decidir como o capital investido será utilizado no futuro, pois essa decisão será determinante na hora de escolher o tipo de investimento. Por isso, tente listar seus objetivos e decidir o quanto será aplicado para atender a cada um. Caso existam mais objetivos que sua capacidade de poupança, tente eleger os mais importantes.

Os objetivos de investimento podem ser listados em termos mais específicos, como, por exemplo, “compra de uma casa”, ou mais gerais, como, por exemplo, “formação de poupança para utilização futura”. Porém, especificá-los melhor pode ajudar na hora de escolher o investimento mais adequado, principalmente se a cada um estiver associada uma estimativa de valor.

Por quanto tempo a quantia que você investiu poderá permanecer aplicada?

A duração da aplicação é também um fator decisivo na hora de definir o investimento mais apropriado, pois o tempo que o valor ficará aplicado poderá influenciar na rentabilidade e até na tributação do mesmo. Portanto, além de especificar seus objetivos, associando a cada um deles o valor correspondente, é necessário estimar o tempo desejado para resgatar o investimento.

Qual o seu perfil de risco?

Na hora de optar por um investimento tenha sempre em mente que, em regra, quanto maior a rentabilidade prometida, maior o risco de perder a quantia aplicada. Então, antes de escolher, compare a rentabilidade prometida com a média do mercado e desconfie de promessas boas demais, pois não existe milagre no mercado de capitais.

Além disso, quem escolhe correr riscos deve fazê-lo de forma consciente e estar preparado para que eventuais perdas não provoquem grandes danos. Por isto, evite aplicar a parte essencial do seu patrimônio em investimentos de alto risco.

Tendo isso em mente, descubra agora qual dos perfis abaixo melhor reflete sua propensão a riscos:

Perfil conservador

Privilegia a segurança e faz todo o possível para diminuir o risco de perdas, para isso aceitando até uma rentabilidade menor.

Podemos dizer que investimentos como Caderneta de Poupança, Títulos públicos e Fundos de Curto Prazo são mais compatíveis com investidores de perfil conservador.

Perfil moderado

Procura um equilíbrio entre segurança e rentabilidade e está disposto a correr um certo risco para que o seu dinheiro renda um pouco mais do que as aplicações mais seguras.

Alguns investimentos, tais como Fundos Cambiais, Fundos de Renda Fixa, Ações e Debêntures, poderão ser considerados moderados ou arrojados dependendo, entre outros fatores, da política de investimento política de investimento que podem ser realizadas pelo gestor do fundo.

Perfil agressivo

Privilegia a rentabilidade e é capaz de correr grandes riscos para que seu investimento renda o máximo possível.

Os Fundos Multimercado são exemplos de investimento mais compatíveis com investidores de perfil agressivo, uma vez que há muita liberdade na composição de suas carteiras e mais exposição às oscilações de um determinado ativo, índice ou mercado.
Descobrir seu perfil pode ajudá-lo na escolha da aplicação mais adequada, desde que esta informação seja utilizada apenas como orientação (e não como verdade absoluta) e que sejam tomadas as precauções necessárias, antes e ao longo do investimento.

Que tipos de precauções básicas você deve ter para escolher o melhor investimento para o seu perfil?

  1. Verificar se há registro do tipo de investimento que lhe interessou na CVM (Comissão de Valores Mobiliários);
  2. Ler atentamente o regulamento e/ou o prospecto do tipo de investimento que você selecionou;
  3. Informar-se sobre os custos incidentes sobre o investimento;
  4. Conhecer a estratégia do administrador do investimento e os riscos que você está assumindo; e
  5. Pesquisar a reputação das instituições envolvidas, entre outras precauções.

O mais importante é, antes de qualquer aplicação, verificar a solidez das instituições envolvidas (emissor do título, administrador, gestor, custodiante) e pesquisar nos documentos correspondentes (Regulamento do Fundo, Prospecto da Oferta Pública, etc.) qual o perfil de risco que você está assumindo.

Como combinar objetivos e prazos na hora de escolher o melhor investimento?

Uma vez que você conheça seu perfil de risco e defina seus objetivos, poderá se informar sobre os investimentos disponíveis no mercado e verificar o mais adequado às suas necessidades. Vejamos alguns exemplos:

Viagem de férias – supondo que, neste exemplo, o valor aplicado tenha que ser resgatado em três meses. Neste caso, faz mais sentido escolher uma aplicação de curto prazo e baixo risco, pois, além do resgate ter que ser feito em breve, qualquer perda pode causar grande dano, uma vez que não há tempo suficiente para sua recuperação.

Compra de uma casa – neste caso, como provavelmente se trata de um montante alto e de um tempo de aplicação longo, é mais sensato escolher um investimento de longo prazo e valor alto, onde é provável obter maior rentabilidade com menor risco. Porém, é necessário cuidado redobrado, por um lado, devido ao montante aplicado ser significativo e, por outro, pelo fato da expectativa de resgate estar distante no tempo, o que faz com que seja necessário o constante acompanhamento da aplicação e sua permanente reavaliação para verificar a necessidade de mudança, caso o cenário que foi tomado por base para a aplicação mude.

Formação de poupança para utilização futura – neste exemplo, pelo fato do objetivo não estar claramente determinado (definindo quando e onde será utilizada a quantia investida), o mais indicado pode ser a diversificação das aplicações. Com essa estratégia, o investidor poderá escolher aplicações de diferentes riscos, rentabilidades e prazos, permitindo que tenha sempre quantias disponíveis para eventuais gastos, ao mesmo tempo em que maximiza seu lucro, além de poder compensar as perdas em uma aplicação com os ganhos em outra.

Por fim, lembre-se que, seja no curto ou longo prazo, seus investimentos se destinam a financiar seus planos para o futuro e, conseqüentemente, terão que ser modificados ou adaptados, à medida que tanto os planos quanto o contexto (político, econômico, etc.) forem mudando. Por isso, para ter certeza de que seus objetivos serão realmente atingidos, acompanhe sempre o desempenho de suas aplicações, procure manter-se permanentemente informado e, de tempos em tempos, reavalie suas decisões de investimento para ver se continuam coerentes em relação aos seus planos e ao ambiente que o cerca.

Fonte: www.advfn.com

Categoria – Educação Financeira

Hábito e Crenças – Criando novas possibilidades

Hábito e Crenças – Criando novas possibilidadesAdequar nossa vida e encaixar nossos desejos e sonhos com as nossas possibilidades financeiras reais é o nosso maior desafio. No dia a dia sofremos uma carga e exposição muito grande aos impulsos de consumo. Somos...

ler mais

Sustentabilidade Financeira: Uma Questão Comportamental

São muitas coisas para fazer em apenas 24 horas do dia… Estamos diariamente lutando contra o tempo em todos, seja, saindo cada dia mais cedo para trabalhar ou dormindo mais até mais tarde para tentar relaxar. A verdade é que estamos sendo conduzidos a fazer as coisas...

ler mais

Voce já pensou no que faz a gente evoluir?

Você já pensou no que faz a gente evoluir?Alguns dizem que é o poder, outros dizem que são as teorias da evolução das espécies e outros, simplesmente o fato de existir. Mas na verdade, o que nos tira da inércia mesmo, é a nossa própria vontade de mudar, de buscar o...

ler mais

Gestão Consciente do Dinheiro, voce faz?

Gestão Consciente do Dinheiro, você faz? O consumo inconsciente é o pior inimigo do equilíbrio financeiro. Portanto, quem reflete de forma constante sobre as suas reais necessidades de consumo tende a ter uma Vida familiar mais equilibrado. Quando falo em Gasto...

ler mais

Oniomania: Comprar compulsivamente é sinal de doença

Oniomania: Comprar compulsivamente é sinal de doençaVamos abordar um assunto, bastante sério e polemico neste post. Apesar deste distúrbio, não raro, estar cada vez mais presente, muitos ainda nem ouviram falar em Oneomania: “doença da dívida”. O termo Oneomania (do...

ler mais

Crenças sobre Dinheiro – Quais são as suas?

Crenças sobre dinheiro: quais são as suasUm caminho para iniciar o processo de conscientização da sua realidade financeira é identificar quais as crenças que temos sobre o Dinheiro. Estas "Crenças"  que  são impostas desde que nascemos. "Dinheiro é sujo e provoca...

ler mais

Autoconhecimento: A Chave para Educação Financeira

Autoconhecimento: A Chave para Educação Financeira Começar nem sempre é tão fácil quanto parece. Quando iniciamos algo, estamos dizendo a nós mesmos: "É para valer". Sem começo não existe meio ou fim. Olhar para o espelho e tentar enxergar a verdade de si mesmo não é...

ler mais

Categoria – Finanças Pessoais

Imposto de Renda 2017 – Este ano o Leão esta na espreita!

Imposto de Renda 2017 – Este ano o Leão esta na espreita! O Blog, a partir deste ano, irá acompanhar todo  cronograma da declaração de imposto de renda para pessoas físicas. Aqui você poderá tirar algumas dúvidas e  fazer consultas .  Nosso objetivo é prover...

ler mais

Conta Salário: O que se deve saber para usar corretamente

Conta Salário: O que se deve saber para usar corretamente A cada novo dia recebo mais e mais perguntas sobre a utilização da conta salário. Na maioria das vezes, percebo que a desinformação está presente entre os próprios correntistas mas também,  entre os...

ler mais

Pagador de Contas: Quer continuar sendo um?

Pagador de Contas, quer continuar sendo um?Há alguns meses venho ilustrando alguns tipos de comportamento que influencia nossa maneira de agir na sociedade. Discutir sobre qual é o destino mais equilibrado para nossa renda e que nosso foco requer um pouco mais do que...

ler mais

Estou endividado, e agora?

Estou Endividado e Agora?O Início do ano, impreterivelmente, sempre nos vemos diante de despesas fixas recorrentes. IPTU, IPVA, matrícula da escola, despesas adicionais do Natal entre outras. O que pretendo a seguir é detalhar dois roteiros em situações, Estável e...

ler mais

Primeiro, as pequenas coisas…

Primeiro, as pequenas coisas...  Pode ser um cafezinho no final da tarde ou um happy-hour de última hora. Se percebemos que estes pequenos gastos são frequentes e inesperados, eles podem desequlibrar nosso orçamento mensal. Não estou falando de proibição ou de...

ler mais

Dicas úteis para as compras mensais no Supermercado

Dicas úteis para as compras mensais no Supermercado Fazer as despesas mensais no supermercado é um desafio quase todos os meses. Vários produtos novos, marcas concorrentes disputando os consumidores através da guerra de preços, promoters divulgando produtos dentro das...

ler mais

Financiamento da Casa Própria: Não é tão barato assim!

Financiamento da Casa Própria: Não é tão barato assim!O Governo Federal vem ao longo das últimas semanas enfatizando e criando condições mais flexíveis para acesso a financiamento de imóveis. Mas, com todo o empenho promovido, temos que observar alguns pontos...

ler mais

A Diferença entre Poupar e Investir

A Diferença entre Poupar e InvestirGeralmente vejo as pessoas comparando o ato de poupar e investir como se fosse a mesma coisa. Na verdade, poupar é o processo de guardar ou reter parte de sua renda. Investir, a priori, é adotar um método racional para remunerar o...

ler mais

Portabilidade Bancária: Entenda e use a seu favor

Portabilidade Bancária: Entenda e use a seu favorPortabilidade bancária é um tema que esta recorrente na imprensa devido ao esforço do governo em reduzir as taxas de juros. Os bancos oficiais vem atuando de forma agressiva ofertando taxas de juros menores para atrair...

ler mais

Organizando as Finanças Pessoais: Dívidas e Juros

Organizando as Finanças Pessoais: Dívidas e JurosA primeira tarefa que devemos fazer para o equilibrar o orçamento familiar é, sem dúvida, a organização e classificação das nossas despesas. Já discutimos a adoção de um método simples e eficiente desqualificar os...

ler mais

Voce conhece o G.U.T. ?

Você conhece o G.U.T. ?Uma das maiores dificuldades que temos em realizar a tarefa de organizar as nossas despesas, é classificar aquelas que são mais urgentes. Na verdade, quando vivemos em família, o nosso orçamento deve contemplar não só as despesas básicas, mas as...

ler mais

Organizando as Finanças Pessoais

Organizando as Finanças PessoaisSempre que falamos em organizar algo, pressupomos que adotaremos um modelo vencedor e infalível. Algumas vezes pode se tornar verdade mas, na maioria da vezes precisamos de algo mais poderoso. A Vontade de corrigir o que estamos fazendo...

ler mais

Aprendendo a Gastar: Qual é o seu perfil de consumidor

Aprendendo a gastar qual o seu perfil de consumoEu quero Investir mas não tenho dinheiro. Sempre quando pensamos em poupar nos vem a síndrome da falta de recursos disponíveis. Na maioria das vezes, ou quase 100% das vezes, pensamos que nossa fonte de renda não é...

ler mais

O Ibovespa para o 3Tri – Cuidado com as Bolhas

O Ibovespa para o 3Tri – Cuidado com as BolhasEsse é o nosso primeiro contato desde a entrada no ar deste blog. Venho aqui hoje para falar um pouco sobre a oportunidade de investimento na Bolsa. Depois da valorização expressiva neste início de ano, a bovespa mostra...

ler mais