Financiamento da Casa Própria: Não é tão barato assim!

O Governo Federal vem ao longo das últimas semanas enfatizando e criando condições mais flexíveis para acesso a financiamento de imóveis. Mas, com todo o empenho promovido, temos que observar alguns pontos importantes que podem influenciar nesta decisão, tais como:  se vamos dar entrada, qual o prazo do financiamento, qual a tabela de juros que o banco vai utilizar, qual o prazo de entrega do imóvel, quais e quanto serão as despesas administrativas e tantas outras.

Deixando o entusiasmo de lado, o esforço que vem sendo feito para aquecer o mercado imobiliário, não tem como objetivo principal facilitar a vida das pessoas e sim criar meios para que os bancos não desrespeitem algumas normas impostas pelo Banco Central. Estas regras servem para criar condições que se adequem aos prazos e  não excedam os limites que podem emprestar, asseguram a solidez do sistema e criam condições de captação de dinheiro para o Longo Prazo. Recentemente, somente a Caixa Economica Federal e o Santander estenderam para 35 anos mas, outros bancos devem seguir para manter a competitividade.

Mas vamos falar sobre o que interessa! Não é preciso dizer que o sonho de todos é ter a sua casa própria. O problema é que este provavelmente será o maior investimento que você fará ao longo de sua vida por ser um dos bens mais caros que o dinheiro pode comprar.

Porém, a forma mais vantajosa de adquirir a casa própria é À Vista e em Dinheiro e nenhuma forma de financiamento será mais vantajosa do que manter a disciplina do orçamento familiar, de fazer uma poupança para efetuar o pagamento. Mas, não temos este hábito como parte da nossa vida. Precisamos recorrer a um financiamento, que já faz parte da cultura do brasileiro. Não quero dizer que seja errado, pelo contrario, digo apenas que é mais oneroso e requer uma disciplina mais rígida para controlá-lo.

Aqui vai uma dica: Antes de contrair a dívida faça a conta do impacto do aumento do prazo oferecido pelo banco nas parcelas e no valor final a ser pago. Observe que alem dos juros, também é adicionado ao financimaneto o custo do seguro do imóvel. Abaixo segue um exemplo para um financiamento para um imóvel avaliado em R$ 200.000,00, localizado na cidade de São Paulo, prazos são de 30 anos e 35 anos simulados na Caixa, que atualmente oferece a taxa de juros mais competitiva:

360 meses 420 meses
1. Juros Nominais 8,00% a.a. + TR 8,00% a.a. + TR
2. Juros Efetivos 8,29999% + TR 8,29999% a.a. + TR
3.Prestação R$ 1.800,60 R$ 1,729,17
4. Custo efetivo Total a.a. 9,9716% a.a. 10,0833% a.a.

Observe que o aumento do prazo em 5 anos, não reduz o valor da parcela significativamente. Vamos estabelecer alguns passos para tentar fazer a melhor escolha:

Primeiro Passo: Definir o imóvel dos seus sonhos e conheça as linhas de crédito disponíveis que se adéqüem a sua realidade financeira. No site de todos os bancos, existe um simulador que auxilia a encontrar a melhor forma de financiamento e que seja compatível com sua renda e o valor do imóvel. Abaixo, segue link onde você poderá encontrar todos os bancos e poder comparar.

http://simuladores.imovelpro.com.br/

Segundo Passo: Apos conhecer todos os tipos de financiamento disponível, comparar as taxas de juros cobradas entre os bancos, você precisa reunir a documentação necessária para efetivar o financiamento. Aqui serão reunidos dados cadastrais pessoais, dados do imóvel, dados do vendedor ou construtora e, caso seja utilizado, a documentação necessária para a utilização do FGTS.

Nesta do processo, os bancos vão solicitar o pagamento de uma taxa para a avaliação cadastral que gira em torno de R$ 800,00 e que, obviamente você pode negociar para que não seja cobrada.
A documentação exigida não varia muito entre os bancos porém, ela é extensa e detalhada. Aqui eu recomendo a utilização de um Documentista, profissionais especializados, com conhecimento de todas as rotinas, documentos e prazos exigidos. Atualmente, os bancos dispõem destes profissionais e este custo também pode ser negociado.

Terceiro Passo: Imóvel escolhido, financiamento definido, documentação entregue e aprovada, agora vem a assinatura e liberação do contrato de financiamento. Os prazos para registro da escritura provisória e para a liberação do pagamento para o vendedor do imóvel, leva em media 30 dias e será efetuado pelo banco. Até a quitação do imóvel, todas as obrigações tributárias serão de responsabilidade do mutuário e, em alguns casos, o atraso do pagamento destes tributos podem causar problemas podendo ocasionar o cancelamento do financiamento e, caso seja necessário, a venda do imóvel para quitação de todas as pendências.

Sobre cuidandodoseudinheiro

Trabalho no mercado financeiro há mais de 25 anos, atuando em diversos segmentos de atendimento a investidores. Formado em Administração de Empresas e Gestão Empresarial, possuo experiência na elaboração de alternativas de investimento. Meu objetivo neste blog é prover ao leitor técnicas para o gerenciamento e planejamento do orçamento familiar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: